Transparência imanente

"Se você quiser ver, vá agora. Porque se você começar a pensar, não há nada para fazer" (Dogen, mestre Zen). Emilio J. Gómez escreve.

Transparência

Descobrir a transparência imanente que engloba tudo é descobrir o branco do papel entre palavra e palavra, o silêncio que aparece entre nota e nota de uma sonata, ou descobrir que entre o espaço dentro de um prédio e o espaço fora não exi não faz diferença.

É mais do que simples. Basta perceber que a transparência inmanente abrange tudo. Se quando você olhar para a folha de papel, ouvir uma sonata ou ver um prédio você pode sentir as palavras, você ouve a música e você vê o design do edifício, então ele está na mente.

Agora, se o que é contemplado é a brancura do papel, silêncio e espaço, então o observador está em meditação.

E pode ser feito Agora. Basta mover o ponto de percepção daquele que observa. Quando é feito, tudo muda e ao mesmo tempo tudo permanece o mesmo. É o ponto de vista do observador que precisa ser mudado, não o exterior. O exterior é perfeito agora como é, nada precisa ser mudado, apenas o ponto de vista daquele que está assistindo.

É tão fácil é por isso que é difícil de ver; o intelecto não pode aceitar sua simplicidade.

Quem é

Emilio J. Gómez, professor de yoga de silêncio dentro da escola de yoga.

Na Ponte de Maio esta escola fará um novo retiro de Silêncio.

info@silenciointerior.net

www.silenciointerior.net

Outros artigos sobre
Por • • Seção de 19 de dezembro de 2013: Silêncio interior