Iniciantes: o que você espera e o que você encontrar.

Os professores dizem que a maioria das pessoas começa a praticar, procurando melhorar a sua saúde em algum aspecto particular. Mas então eles descobrem que yoga é muito mais exercício físico e relaxamento. Escreve Julian Peragón (Arjuna)

ClassYoga (Foto: Rádio da Juventude)

A maioria dos iniciantes que começam a praticar Yoga fazê-lo para um problema de saúde, por exemplo, pode ser dor nas costas, insônia ou um alto nível de estresse. É claro que a saúde é uma primeira necessidade para que yoga pode dar uma resposta satisfatória, daí o grande sucesso que teve ao longo das últimas décadas. No entanto, muitas vezes a pessoa que inicia não pode ou não sabe como expressar outras demandas que são muito reais, embora não inteiramente explícitas.

A pessoa pode não só procurar a saúde, mas também um espaço que classifica sua vida através de aulas semanais, criando momentos de calma e revigoramento. Não é à toa que há, no subsolo, uma demanda por atenção, uma necessidade de uma comunicação mais sincera ou simplesmente a busca de um oásis de silêncio.

Como profissionais, não podemos virar as costas a essas demandas e devemos canalizá-las adequadamente, pelo menos na tentativa de concentrar a pessoa em sua globalidade.

Aos poucos, o iniciante percebe que yoga não é apenas um tapete onde você esticar e relaxar, começa a ver a sua profundidade. Ele percebe que há mudanças em seu corpo, mas também em sua consciência. É como se, soltando lastro no corpo, a mente também é livre dissegot de suas preocupações.

Yoga serve-nos como um bom espelho faz, reflete o nosso momento presente, com suas luzes e sombras, e nos dá asas para agir sobre o que impede a nossa plenitude. Digamos que a prática do Yoga é questionando nossos hábitos vitais e abre um caminho esperançoso para nós. Outra coisa será que o novato não se dá tempo suficiente e perseverança para uma transformação real a ter lugar.

Outros artigos sobre ,
Por • 18 de janeiro de 2013 • seção: Iniciantes