Limpe suas dúvidas: Por que é errado dizer "inspire" e "exale"?

Nesta seção, Javier Ruiz Calderón oferece respostas às nossas dúvidas sobre yoga, sua filosofia e suas técnicas a partir de uma visão atualizada e crítica da tradição yophytic. Estamos todos convidados a escrever para Javier info@yogaenred.com levantando nossas dúvidas ou incertezas.

Pergunta: Por que é errado dizer "inalar" e "exalar"?

Resposta: Como professores de yoga, muitas vezes contamos com livros cujo original é em inglês ou treinamos com professores que falam inglês, e importamos sua terminologia ao manijá-la mal. Um dos casos mais difundidos nas aulas de yoga é "inalação" e "exalação". Como em inglês é dito "inalar" e "exalar", em espanhol dizemos incorretamente "inala" e "exala", que são as palavras mais inglesas. É o que os tradutores chamam de "amigos falsos": aparentemente fácil traduzir palavras por ser tão semelhante ao espanhol, mas eles significam outra coisa. Como, por exemplo, quando traduzimos "prisão de ventre" por "prisão de ventre" (frio ou frio), quando na verdade significa "prisão de ventre".

Por que é errado "inalar" e "exalar"? Porque em espanhol "inalar" não significa simplesmente "atrair ar externo para os pulmões", mas chupar, com esse ar, "certas substâncias, como gases, vapores, partículas, etc." (Dicionário da Academia Real). Não há inalar ar, mas cocaína ou fumaça, fazemos "inalações" quando estamos frios, etc. E "exalar" também não é "expulsar o ar aspirado", mas "descartar gases, vapores ou odores", Como fumano. Há uma locusionexcepcional em que o "exalar" tem algo a ver com a respiração: "exalar o último suspiro", relacionado a "exalar a alma" ou "o espírito"; ou seja: morrer. E, na mesma linha, pior ainda seria dizer "expiração", o que também significa "vida final", que não desejamos aos nossos alunos bem no meio da aula de yoga.

Então, o que podemos dizer em vez do errado 'inalar' e 'exalar' (e, claro, 'exaling')? Para o ar que se aproxima há duas possibilidades: "aspirar", que é um termo mais geral que pode ser usado para respirar ou para qualquer introdução de fluidos em um corpo "através de uma baixa pressão", e "inspire", usado especificamente para aspiração de "ar ao ar livre para os pulmões". Este segundo mandato é mais específico e, portanto, preferível. E para a expulsão do ar dos pulmões há apenas um termo correto: "respire", "aspiração".

Dejemos, pues, de invitar a nuestros alumnos a inhalar y a exhalar (diferentes sustancias, legales o no) y propongámosles sencillamente que inspiren y espiren el aire que nos llena de vida y de energía y que se lleva con él las toxinas y negatividades que bloquean nuestro camino hacia la Plenitud.

Javier Ruiz Calderón (Shankara) es doctor en filosofía especializado en filosofías y religiones de la India. Lleva cuarenta años estudiando y practicando yoga, vedanta y meditación. Enseña esas disciplinas, así como hinduismo, sánscrito y canto védico, y ha publicado cinco libros y docenas de artículos sobre esos temas.

Próximas atividades: Participación en «Café filosófico sobre el tiempo». Madrid, 27 de enero (www.cafefilosoficoenmadrid.wordpress.com). Sigue en marcha el seminario permanente «Estudo das escrituras do yoga e o» Vedānta. Las upaniṣad», un sábado al mes (8 hs) en Alcobendas (Madrid). Presencial y a distancia. Incorporación en cualquier momento, previa inscripción. Información: http://www.Ashtanga-Yoga-Alcobendas.es

Outros artigos sobre
Por • 14 Jan, 2019 • Sección: Javier Ruiz Calderón