Meditação em movimento: Santiyoga

O Caminho de Santiago é uma experiência completa de iogue. Ele nos oferece tantos ensinamentos sobre nós mesmos que você pode comparar com o caminho do yoga. E é também, acima de tudo, uma grande experiência de meditação em movimento. Escreva Susanna Garcia.

Eu tenho 100 milhas pela frente e eu penso: Eu não sei se eu vou ser capaz de. Eu tenho boa saúde, eu não sou um grande desportista, mas a prática de yoga me faz ter um corpo ágil e uma respiração muito boa. Mas temo que eu vou estourar na próxima fase e bolhas em meus pés. Eu começo a andar, um passo, outro, e depois outro...

Eu vou lentamente para a natureza e como eu ando nele eu sinto uma grande tranquilidade interior. Eu posso perceber as cores cada vez mais claramente e os sons estão se tornando mais claros em meus ouvidos. Sinto-me parte da natureza, derretido nela. De repente, eu vejo um outro peregrino correndo por quase e eu posso ver que eu não me importo de chegar a lugar nenhum e que eu estou gostando de cada passo.

Meu parceiro vai em frente, mas eu não quero correr e perder toda essa sinfonia de beleza que está vindo em torno de mim. Por alguns momentos eu vou tranquilamente comigo, e eu não preciso de mais nada. Eu tenho um objetivo, mas eu não corro para alcançá-lo.

No final da viagem deixo o Caminho de Santiago renovado e surpreso. Seis dias foram suficientes para colocar minha mente em ordem e me sentir muito, muito em paz. Então eu sinto que eu gostaria de compartilhar essa experiência com mais pessoas, mostrar-lhes que o importante não é chegar à próxima fase, mas para viver cada momento intensamente. Santiyoga nasce do desejo de compartilhar essa experiência.

A prática da meditação sobre o Caminho de Santiago é importante porque é a maneira de mergulhar no essencial, de não perder nada. Se aprendermos a parar, faremos do Caminho uma jornada extraordinária. Eu garanto a você!

La caminata es ya de por sí una meditación en movimiento, si somos capaces de dejar el reloj externo y escuchar nuestro propio ritmo. El Camino de Santiago es una muy buena ocasión para hacerlo. Enseñaremos varias técnicas a lo largo de los días para ir entrando despacito en ese estado de meditación. Si no estamos acostumbrados a meditar será bueno que alguien nos guíe en nuestros primeros pasos, y si somos ya meditadores, entraremos con más facilidad en los ejercicios que iremos proponiendo.

Quiero recalcar que muchas personas creen que la meditación es dejar la mente en blanco y que por tanto esto no es para ellas, porque no van a poder hacerlo. Pero nada más alejado de la realidad. La función de la mente es pensar, y está diseñada para ello. Lo que sí es importante es la cantidad y calidad de los pensamientos, por lo que la meditación actuaría como una escoba: limpiando y despejando la “suciedad” mental.

La meditación es el cultivo del ahora; eso es lo que nos aporta. Ser consciente de lo que está pasando en el instante presente, sea bueno o malo, sólo observándonos sin juzgar. El pasado no volverá y el futuro es solo posibilidad. Cultiva el presente como lo que es, un regalo, y tendrás una vida bien vivida. Así lo descubrirás, en todo su esplendor, en el Camino de Santiago.

Susanna Garcia es creadora de Santiyoga.

Veja todas as informações aqui: https://www.santi-yoga.es/

T +(34) 654834033 | infosantiyoga@gmail.com

As pessoas vão para guiar estes dias são Susanna Garcia, Circe Fabiola Inzunza y Claudia López Albán, psicóloga y coach, profesoras de yoga y de relajación consciente. Tres profesionales ampliamente cualificadas y con gran experiencia en sus respectivos campos. Les une el interés por un trato humano y cercano. Su deseo es acompañarte y guiarte en tus primeros pasos por caminos no andados, y sobre todo hacer que te sientas acompañada/ o y cuidada/a.

Outros artigos sobre ,
Por • 25 Jun, 2018 • Sección: Lazer