Aprender a concentrar-se

En última instancia todo se vive, se experimenta y se siente en la mente. De la mente surgen todos los estados, como declaraba Buda, y la mente es la que ata o libera. En el escenario de la mente se refleja lo que vamos viviendo y se genera una reacción, que puede ser ecuánime o desmesurada, y por tanto equilibrada o neurótica. Escribe Ramiro Calle.

Cuando un discípulo le pidió a su maestro que le diera enseñanzas para liberarse, éste preguntó: “¿Y quién te ata sino tu propia mente?”. La mente puede ser muy mala ama o muy buena sirviente. Todo depende que en que medida comenzamos a establizar, dominar y dirigir la mente. Eles devem nos ensinam de crianças para procurar, encontrar e concentrar a mente.

Em geral, na maioria das pessoas, a mente é fragmentado e disperso. Limitou a capacidade de concentração a menos que algo lhe interessa muito. Toda a força sem canal perde em eficácia: água, luz, calor e som. O mesmo é verdade com a mente. É tão larga que perde poder. Mas a mente é treinável e revelável. Através de exercícios de concentração e meditação nós pode ir aprendendo a colocar a mente sob o controle da vontade.

Meditação, por exemplo, nos ensina a conectar mais com o momento presente e não deixe a mente nos acarreé de um lado para outro. Metodicamente podemos treinar a atenção e aprender a canalizá-los sobre o que combinamos. A concentração está a fixar a mente em um objeto ou o suporte para a exclusão de tudo o resto. Para treinar, podemos nos concentrar em uma cor, uma figura geométrica, uma parte do corpo, uma flor, a respiração, a chama de uma vela ou uma imagem. Você tem que ir absorvendo mais a mente sobre o objeto de concentração, suspendendo os pensamentos parasitas.

Com a prática, aprender a ser melhor governada se importa e não deixe-nos em direção a pensamentos mecânicos. Para tornar as coisas com mais precisão e habilidade, teremos de recorrer a concentração. Assim, a mente não é mais um obstáculo e se torna um grande aliado.

Entrando a concentração

También se puede concentrar la mente en una zona del cuerpo, como el entrecejo o la boca del estómago, o las palmas de las manos o la región del corazón. Asimismo se puede concentrar en un fuego, el tic tac de un reloj o el chapoteo del agua. Todo puede convertirse en un soporte de concentración o fijación de la mente con absoluta exclusión de todo lo demás. Con la practica asidua se van obteniendo grados más profundos de concentración, en los que la mente queda totalmente absorta en el soporte de la concentración.

O objeto escolhido é um auxílio para corrigir a mente e evitar sua direcionalidade multi. Na medida que se intensifica a concentração, segue-se fixação mental, atenção unidirecional, calma e serenidade.

É também de grande eficacia e benefício ativar a habilidade através da prática de hatha yoga, sendo mais atentos para o corpo e a respiração. A concentração estimulado e dirigido será muito útil para o estudo e para qualquer atividade profissional, cultural, desportiva ou artística. Vão reunificar através as mesmas energias dispersas.

A concentração interiorizada nos ajuda a entrar em E.U. mimos e estabelecer-se na consciência pura. O grande sábio Santideva recordaba: “Para vencer todos los obstáculos, me entregaré a la concentración, sacando la mente de todos los senderos equivocados y encauzándola constantente hacia su objetivo”.

Calle Ramiro

RamiroCalleMais de 50 anos tem sido Calle Ramiro ensinar yoga. Ele começou a ensinar em casa e criou uma academia de correspondência de ioga para toda Espanha e América Latina. Em janeiro de l971 abriu sua Centro de Yoga Shadak, que já se passaram mais de meio milhão de pessoas. Seus 250 trabalhos publicados incluem mais de 50 anos dedicados à ioga e disciplinas relacionadas. Ele fez Yoga a finalidade e o sentido de sua vida, tendo viajado centenas de vezes para a Índia, a pátria do yoga.

Consulte a página de Facebook de Ramiro Calle:
https://www.facebook.com/pages/Ramiro-ACalle/118531418198874

Você gostou deste artigo?

Subscreva a nossa RSS para que você não perder nada

Outros artigos sobre
Por • • Seção de 14 de dezembro de 2017: Calle Ramiro