Luz de las Escrituras/ OM pūrṇamadaḥ pūrṇamidaṁ…

O ensino do mantra de plenitudepūrṇa'. Tradução e comentário por David Rodrigo (Āchārya Jijnāsu), professor tradicional de Advaita Vedānta.

Escrituras

ॐ पूर्णमदः पूर्णमिदं पूर्णात्पूर्णमुदच्यते।

Puranasay Pooranamadaya puranamevavasishayate.

OM shanatih sanatih shanatih |.

OM pūrṇamadaḥ pūrṇamidaṁ pūrṇātpūrṇamudacyate.

Pūrṇasya pūrṇamādāya pūrṇamevāvasiṣyate.

OM śāntiḥ śantiḥ śāntiḥ |.

Que (Existencia de la primera, El Ser, la realidad suprema, la Verdad) Pleno de es 'pūrṇa' (infinito, ilimitado, indivisível). Isto (sendo próprio, essa realidade que percebemos como o mundo) É completo, [porque] totalmente emerge como completo. Quando o coração é dissolvido em todo o (o que percebemos como a morte)definitivamente os restos do coração (não morrer).

OM śantiḥ ´paz´ śāntiḥ śāntiḥ (em minha mente), ´paz´ (em minhas condições, relações), ´paz´ (nos deuses e forças da natureza).

"Que (Existencia de la primera, El Ser, la realidad suprema, la Verdad) Pleno de es 'pūrṇa' (infinito, ilimitado, indivisível)"."- A primeira existência é infinita, ilimitada, porque lá é sua própria natureza, existe por si mesmo, sem ter iniciado, sem ter sido criado por qualquer outra existência anterior. Não é a existência como resultado de alguma coisa. Não é nenhum efeito, mas ela existe porque sua natureza é assim: existência.

Que existe por si mesmo, sem ter sido criado, sem ter começado ou nascido, é de graça, sem destruição. Tudo nasce, morre. É uma lei da vida. Tudo é criado, acaba de ser destruído. É só uma questão de tempo. Mas o que não nasceu, que não foi criado, ou não existe ou é a existência eterna. Ou seja, o princípio de tudo: a existência eterna, infinita, ilimitada.

-Bem, e o que isso tem a ver comigo?

Você é isso. Tu és a plenitude da existência primeira. "Você e tudo o que sinto com seus sentidos e sua mente-corpo - coração é verdadeiramente infinita, cheia de existência:"Isto (sendo próprio, essa realidade que percebemos como o mundo) está cheio."

-Como isso é possível? Por que?

"[Porque] totalmente emerge como completo."- O que vai surgir da existência, nada mais? A não-existência? Isso não pode acontecer nunca. O que emerge de existência infinita, sem partes? A existência finita, com as peças? Isso não pode acontecer nunca.

Em primeiro lugar, que não há nenhuma causa, porque sua natureza é a existência, é apenas a existência. Não é a existência e simultaneamente inexistência, porque ambas são opostas, são auto-negarían que seja negada a existência ou inexistência, dependendo de qual poder era mais poderoso. Todos sabem que ´yo existo´. Portanto, a existência existe, prevalece.

A primeira existência é existência única, sem peças. Ou seja, não tem peças de não-existência, porque eles estão em conflitos e não há peças de alguma coisa, algo diferente da existência.

Como sabemos que a existência do primeira não tem peças para qualquer outra coisa, outra coisa senão a existência?

Pois então diga-nos grandes sábios ou seres realizados de todos os tempos e lugares, aqueles que foram para a mesma fonte de vida, de ser, falam da existência única, sem modificação, com nada mais, cuja experiência em si, sem objetos absoluta plenitude.

Então não explicam as escrituras que vêm diretamente da experiência: o Upaniṣhads (Vedas, Vedanta) e seus derivados, Bhagavad Guītā, Yoga Sutras, Brahma sutras, etc. Estes escritos explicar não só a experiência dos grande sábios/ACE e ACE/santos, mas também o método segundo o qual todo o mundo se torna a experiência direta da existência e vista, em si mesma, não é nada mais. Fim de dúvidas e confusão. Apenas o seu directo e permanente, iluminado, consciente e voluntária de si mesmo, de seu verdadeiro ser, experimentam só uma vez por todas com suas dúvidas, porque não há alternativa, porque não há nada mais do que estar.

Mas, para fazê-lo devem ser seguidas método revelou escrituras corretamente - que exige quase sempre uma transmissão tradicional, do professor competente para discípulo/competente - e com todo o seu ser, que exige a sua devoção, amor e segurança, no método e em si mesmo / a.

Caso contrário, a existência é experiente adiada. Portanto podemos sofrer, esperança, medo, ódio, degeneramos e morrer.

-Se a existência é um infinito, como é possível que ninguém ou quase ninguém reconhece-lo?

Porque seus instrumentos para ver (descobrir, experimentar, sentir) não estão em boas condições. Então eles são e reconhecem a existência plena que você é, ou seja, você tem que purificar e cultivar seus instrumentos de percepção com a luz dos escritos de conhecimento total, o que é libertador.

Seu finalmente está distraído com as cores dos objetos externos percebidos seus sentidos e seu corpo. Assim você pode nunca saber a verdade, não há objetos, ou seja, você está, que brilha por conta própria.

Assim que você anda afastado da dependência externa e concentrando sua finalmente dentro de você, invariavelmente, sinto paz, disse. Isso é você. Essa é a verdade. Mesmo você desapegar dessa experiência de ´yo estou experimentando a plenitude do ser´, deixe-se levar sem mais, sem medo ou expectativas, e você é apenas o que é e ser auto-reconoce.

- Mas se é, é luz e é auto-reconoce e eu que sou, tenho que seguir o método das Escrituras, etc.?

Porque você não reconhecê-lo e quer reconhecê-lo.

- E então o que é tudo isto, o mundo composto de muitos seres e coisas diferentes em constante mudança, nascimento e morte?

Uma deturpação da existência uma e infinita que porque seus instrumentos estão em um estado defeituoso, como quem no deserto vê um oásis que nunca irá satisfazer sua sede porque é só areia, ou quem tem catarata vê duas luas, ou quem andar nas sombras do bos Ele vê uma cobra e teme a morte e foge onde só há uma corda, etc.

Esta mesma deturpação pela limitação de seus instrumentos de conhecimento e experiência é a causa de ver que algo ou alguém nasce, age, muda, se degenera e morre. A realidade Suprema de tudo é a existência infinita, uma, indivisível, sem alteração (advaita)- "Quando o pleno se dissolve em todo o (o que percebemos como a morte)definitivamente os restos do coração (não morrer)”. Não há alteração na realidade final. O que muda é suas ferramentas, seu corpo-mente - coração. E vai continuar mudando e finalmente dando-lhe a experiência de mais ou menos dor, adulcerado com migalhas de prazer e felicidade, até que você sintonices-los com o sentimento do seu eu interior sendo profunda e pura e retirando seu mesmo essa experiência de pura alegria, Você renazcas na eternidade que é, na plenitude que você é nem mais nem menos.

Você fez o que você precisa fazer; cumprido o sentido da vida. Que não há nada mais para conseguir.

"OM śantiḥ ´paz´ śāntiḥ śāntiḥ" (em minha mente), ´paz´ (em minhas condições, relações), ´paz´ (nos deuses e forças da natureza)."-" Então você pode seguir o caminho, completamente, com todo meu ser, amor e luz.

David Rodrigo (Āchārya Jijnāsu)

Luz das Escrituras - tradicional escola Advaita Vedānta

Treinamento "escrituras de Advaita Vedānta e Yoga-Sāṅkhya"

http://luzdelasescrituras.WiX.com/escueladevedanta

FORMAÇÃO

Escritos de Advaita Vedānta e Yoga-Sāṅkhya

Estudar, praticar e experiência dos escritos originais da tradição oral completos: Sāṅkhya Kārikā, Yoga Sutras, Viveka Chūḍāmaṇi, Bhagavad Guītā, Upaniṣhads e Brahma sutras

Mokṣha Śhāstra - ciência da libertação: settle na plenitude de um é o self e a realidade

Em Madrid-

Yoga Shala Alcobendas

http://www.Ashtanga-Yoga-Alcobendas.es

Contato: annayogashala@gmail.com

Em Barcelona-

Ashtanga Yoga Barcelona

http://www.ashtangayogabcn.com

Contato: info@ashtangayogabcn.com

Valencia - Yoga Gobinde

Também misturado e on-line

APRESENTAÇÃO de RODRIGO DAVID (Āchārya Jijnāsu)

David RodrigoÉ entregue completamente para a realização do seu verdadeiro ser e da verdade desde em 2008 é foi para Rishikesh, Himalaia, Índia e deu-se com seu mestre, Dravidāchārya Rāmakṛiṣṇan Swāmījī (Shastra Nethralaya Ashram, tradição Advaita Vedānta de Śhaṅkarāchārya).

Ele estudou durante seis anos intensos de auto-transformação, contemplado, aplicado e experimentado com o mestre, em um relacionamento pessoal e diário, sabedoria experiencial e libertadora de grandes escritos completas e originais das escolas de espiritualidade e filosofia na Índia (ṣhaḍ-darśhana) e o sânscrito clássicos:

-Advaita Vedānta

– Prasthāna Trayī ´Triple Canon´ con el comentario de Śhankarāchārya: Bhagavad Guītā, principales Upaniṣhads y Brahma Sūtras. Éste último con Bhāmatī, el subcomentario de Vāchaspati Miśhra.

-Advaita Siddhi, Madhusūdana Sarasvatī, parte do ´Gran Bṛhat Prasthāna Trayī Canon´ triplo.

– Prakaraṇa granthas (textos secundarios) como Viveka Chūḍāmaṇi, de Śhankarāchārya; Pañchadaśhī, de Vidyāraṇya Muni; Vedānta Paribhāsā, de Dharmarāja Adhvarīndra; Siddhānta-leśha-saṅgraha, de Appayya Dīkṣhita; Dakṣhiṇāmūrti-stotra ´Himno a Dakṣhiṇāmūrti´; Pañcīkaraṇa; Tattva-boddha; o Ātma-jñāna-upadeśha-vidhi.

-Sutras de yoga de Patanjali com comentário de Vyāsa, etc.

Kṛṣhṇa Īśhvara - Sāṅkhya-Kārikā.

-O resto das escolas clássicas (astika darśhana): Artha-saṅgraha (Pūrva Mīmāṁsā); Tarka-saṅgraha (Nyāya-Vaiśheṣhika).

-A gramática do sânscrito (vyakarana): Layla-Siddhanta-kaumudī de Varadarāja (simplificação das Aṣhṭādhyāyi da Panini).

Ele também iniciou-se em técnicas de meditação e consciência na tradição da meditação, Yoga no Himalaia com é Bhāratī Veda (Swami Rama Sadhaka grama Ashram, Rishikesh).

Swami Rama Sadhaka grama Ashram, em Rishikesh começou a transmitir o conhecimento, prática e experiência de escritura e meditação; e coordenada Dhyāna Gurukulam, a escola tradicional do ashram.

En 2014 la vida le trajo de nuevo a España, donde continúa haciendo disponible la sabiduría, la práctica y la experiencia de estas escrituras universales que vienen de y te conducen a samādhi – la plenitud absoluta de tu propio ser (Consciencia pura, Felicidad, Existencia, libertad), sin vestiduras ni conversiones a lo que no eres.

Outros artigos sobre
Por • 31 Jul, 2015 • Sección: Textos antigos