A sessão de Yoga no Ocidente

Embora o Yoga veio da Índia, através de vários canais, tem sido há muito tempo no Ocidente. Países de diferentes continentes foram adotando e adaptando-se a Yoga em maneiras diferentes. Mas existem alguns elementos que devem estar sempre presentes na classe ou sessão de Yoga. Escreve Paulo Rego.

Surya Namaskar

Um indivíduo que abre na realização desta disciplina milenar chega no local de prática demonstrando uma pesquisa específica. Muitos por trás de uma formação meramente físico, outros por questões de saúde emocional ou mental, alguns conselhos médicos e outros como forma de desenvolvimento espiritual ou em busca de alguma paz.

Ioga abrange todos esses aspectos da necessidade humana e ainda mais.

No século de mid-20th, quando Yoga foi introduzida no Ocidente, que impulsionou esta expansão e mestres que estavam envolvidos no processo veio da Índia, trazendo consigo filosóficos e conhecimento cultural que rodeia o disciplinar. Mestres hindus (professores que são eles próprios próprio mérito e aclamação) como Sivananda, Vishnudevananda, Vivekananda, personalidades como Sri Aurobindo ou yogachayras (Mestre) como B. K. S. Iyengar, entre muitos outros, esforçou-se desde o início, tomando cuidado de, transmitir e inculcar os fundamentos essenciais do Yoga.

Os textos védicos, sutras como o Ioga Sutras de Patanjali (considerado o pai do Yoga por sua antiga e influente obra escrita) e a fonte poética e metafórica do Yoga foram relatados pelo primeiras emissoras orientais na sua transmissão para os ocidentais. Esses princípios e essas recomendações devem ser parte da atmosfera que deve fazer o instrutor, professor ou mestre quando partilha de práticas.

Partes da sessão

Neste caso que fazemos uma ênfase especial sobre a prática do Hatha Yoga (Yoga do corpo ou força), uma vez que é a mais difundida no Ocidente e que tomou o nome de "Ioga" para secar. Este tipo de prática é o mais procurado pelos ocidentais, já que é mais fácil começar pelo organismo do que a mente ou o espírito.

Essa familiaridade e a cultura do materialismo ocidental é um risco tomar estes aspectos exacerbados na vida cotidiana para dentro do âmbito da prática. Por esta razão, é muito importante, no início da sessão, estabelecer um período de conscientização de tudo isso com o que não viveu.

  1. Tomada de consciência

Este espaço particular desde o início da sessão deve centrar-se no sentido de consciência sobre a atividade da mente, respiração, cuidadosa da viagem de sensações, até que a prioridade da percepção do praticante está presente, "o aqui e agora".

Este primeiro período da sessão pode ser menor ou maior, dependendo do grupo e a intenção do instrutor ou guia. Determinados estilos de Hatha Yoga dinâmico usa o movimento para aprofundar o "estado da prática", mas é sempre importante ter consciência e entrando nesse estado, no início, portanto, a prática é profundo e não um mero físico exercício.

2 Pranayama ou respiração consciente

Respiração tende a ser na maioria dos casos, chegando a prática, fortemente influenciada pelas emoções, a intensidade dos pensamentos (na maior parte descontrolados), stress ou ansiedade. Assim, é essencial que a sessão contém uma seção para a prática de Pranayama ou exercícios de "respiração consciente".

Dependendo do comprimento total da sessão e o foco de cada grupo, Pranayama oferece uma grande variedade de exercícios que podem ser executadas a partir de um ou vários combinados antes da série de asanas ou posturas.

3. série de asanas ou posturas

Após esta introdução é ainda a parte do asana, que é importante para trazer no corpo a um estado de atividade para evitar ferimentos. O famoso "saudação ao sol" ou Surya Namaskar (em suas diferentes variantes) é um clássico excelente para iniciar a atividade. Mas, sem ter que praticar sempre esta combinação de exercícios, você pode tomar como um exemplo e outras Saudações ou desenvolver uma combinação de posições que convidam a energia de ativação e movimento do corpo.

A série de asanas ou posturas é mais amplamente conhecida da sessão de Yoga. É importante destacar aqui é a consciência da prática em todos os momentos, a atenção que deve ser dada ao corpo, manter contato com a respiração. Pelas razões acima expostas, sem todos os asanas ou posturas serão meros exercícios físicos, acrobáticos ou ginástico longe do primeiro e último do conceito de Yoga.

4-relaxamento

Relaxamento profundo é essencial na última parte da sessão. Relaxar completamente o corpo físico para que a energia vai reorganizar da melhor forma possível, liberando as tensões e confiando na energia. Neste contexto, o relaxamento guiado pode trazer-nos em um estado semelhante à meditação, ou depois de completar uma quantidade de trabalho sobre as estruturas físicas e energia do corpo, você pode continuar o relaxamento meditação abrangentes, resultando que a forma mais natural de digitá-la.

É nesse momento da prática em que a influência do físico e a mente tem diminuído e a receptividade e disponibilidade para desenvolver atividades mais sutis, relacionadas com os aspectos mais espirituais é maior.

Dependendo de grupos, a predisposição dos praticantes e os caminhos que o guia se comprometeu a transmitir o Yoga, é hora de algum texto inspirador, canto de mantras, uso de ferramentas de vibração ou simplesmente convidar o silêncio meditativo do grupo.

A sessão de Yoga no Ocidente deve estar ligada à consciência e todos os caminhos que levam a ele. Sem isso, a atividade não deve ser chamada Yoga. Esta disciplina é profunda, sempre que você praticar com todos os seus elementos. De respeito e de conscientização dos professores e dos difusores depende grande mídia que vai acontecer.

Paul Rego. Professor de yoga. Masajista-Terapeuta Holística. Diploma em medicina Ayurveda da Índia.

http://yogasinfronteras.blogspot.com

Ser sociável, compartilhar!

Você gostou deste artigo?

Subscreva a nossa RSS para que você não perder nada

Outros artigos sobre
Por • 23 de maio de 2016 • seção: Assinaturas